Velocidade: conheça a nova aliada das organizações

Uma das características mais marcantes do novo cenário de mercado é a velocidade com que as mudanças acontecem no mundo. E falar em velocidade, hoje, é referir-se à enorme quantidade de dados gerados diariamente por pessoas, organizações e dispositivos os mais variados. É identificar a evolução rápida e constante de soluções por meio de tecnologias e processos inteligentes e perceber, também, que transformações seculares podem acontecer em poucos dias ou até mesmo horas.

Se antes levávamos cinco ou até mesmo dez anos para trocar o modelo da televisão ou do refrigerador, agora mudamos de smartphone a cada ano, no mínimo, já que novos modelos e mais funcionalidades atrativas são oferecidos quase que diariamente.

Estima-se que o volume de dados criados nos últimos dois anos é maior do que a quantidade produzida em toda a história da humanidade. Isso porque tudo produz, troca e procura dados. Segundo projeções recentes da ONU, mais de 4 bilhões de pessoas terão acesso à internet móvel até o fim de 2017. Entre 2022 e 2025, a conexão deve tomar toda a população mundial – cerca de de 8,2 bilhões. E, certamente, isso vai impactar os negócios das empresas.

 

Velocidade é aliada, pressa é inimiga

Novas entrantes no mercado já nascem digitais. Porém, muitas organizações tradicionais ainda buscam transformar o seu modo de operação. O primeiro passo para isso é perceber que não se pode mais ficar de braços cruzados, à espera da transformação digital. Acompanhar as mudanças surgidas nos últimos anos e entender que é a velocidade com que você se reinventa que pode salvar a sua instituição são os passos seguintes. Afinal, é essa velocidade de reconfiguração ou adaptação que move esse novo cenário e torna qualquer empresa realmente competitiva. É necessário, portanto, se preparar para este novo ritmo – afinal, não se pode prescindir desta aliada tão importante, a velocidade.

Mas é preciso contar sempre com a inteligência e estar muito atento para que ela não se transforme em inimiga, afundando negócios em função da pressa de inovar, de querer se transformar rapidamente sem um planejamento adequado: não adianta correr se você não sabe para onde quer ir.

 

A velocidade, os consumidores e os produtos e serviços

Com as tecnologias se transformando tão rapidamente, a substituição de máquinas e a otimização de processos e rotinas acabam sendo muito maiores. Pense na rápida evolução dos próprios computadores e soluções móveis e digitais, que tomam conta dos ambientes das organizações e chamam a atenção do público.

Os consumidores já estão acostumados a receber inovações e serviços diferenciados e, por isso, não perdoam aquelas empresas que demoram apenas um dia para responder a um chamado. Um dia é muito quando se fala em velocidade. Então, cada vez mais as organizações devem estar atentas ao conceito de agilidade, rapidez e eficiência.

Atualmente, não basta oferecer um serviço ou produto: ele precisa fazer sentido para o cliente. Deve ser pensado para corresponder à maneira como o seu público-alvo funciona, pensa e quer. Ou seja, não pode existir pelo simples fato de ser digital. Por isso, no centro de todas as tomadas de decisões e estratégias estão os principais protagonistas da cadeia de atuação, os consumidores, que mostram-se cada vez mais interconectados e exigentes.

Conquistá-los pode ser um grande desafio. Mas, não se esqueça: o que eles realmente querem é encontrar soluções para os seus problemas com facilidade. Para isso, é importante lembrar que não importa muito o dispositivo por meio do qual essas questões vão ser resolvidas, mas sim a forma ágil e competente com que qualquer obstáculo na experiência do consumidor se dissolve.

Em um e-commerce, pode ser essencial contar com a inteligência de um chatbot, que responde dúvidas e perguntas dos consumidores em tempo real e está constantemente aprendendo por meio das interações no site ou rede social da sua marca. Já na indústria automotiva, que, muitas vezes, ainda funciona em um modelo de negócio tradicional, é necessário ser totalmente disruptivo e não somente incluir novas tecnologias no próprio carro, mas completar a jornada do consumidor, que deseja permanecer o mínimo de tempo possível em uma concessionária.

Oferecer serviços diferenciados é o caminho certo a se seguir. Por exemplo, a Mitsubishi, no Reino Unido, permite que o consumidor tire todas as dúvidas online antes de ir até a loja e mais: abriu concessionárias em shopping centers, onde ele pode escolher o modelo de carro que deseja, retirar o carro e fazer um test-drive na sua rotina diária. Ou seja, facilitou a vida do cliente e a sua experiência de compra em todos os sentidos.

Portanto, a nossa sugestão é: além das propostas inovadoras, permita que a velocidade se torne a sua mais nova aliada. Esteja sempre atento aos dados, por meio deles diferentes produtos e soluções são criados, o que leva a sua empresa a estar cada vez mais inserida em um novo modelo de negócio orientado pela transformação digital. Acompanhe a velocidade dos nossos tempos usando sempre a inteligência em seus projetos. Como dissemos antes, ser veloz é uma coisa, apressar-se é outra bem diferente, e de nada serve correr se não se sabe para onde ir.

 

Gostou deste post? Deseja saber mais sobre o assunto? Então entre em contato com a Plugar e descubra tudo que podemos fazer pelo seu negócio.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Plugar nas redes sociais