Inteligência de Mercado e os benefícios da Internet das Coisas (IoT)

2Um dos assuntos que mais têm chamado a atenção nos últimos tempos é a IoT (Internet of Things), ou ‘internet das coisas’. Trata-se de mais uma das novas tecnologias que estão, gradativamente, tornando-se fundamentais para atuar neste cenário de transformação digital, em que as empresas precisam criar e oferecer com agilidade serviços e produtos cada vez mais alinhados ao desejo dos consumidores. Não à toa, o instituto de pesquisas Gartner apontou que, até 2020, existirão em todo o mundo em torno de 20,4 bilhões de “coisas” – incluindo dispositivos os mais variados, que vão de aparelhos domésticos a veículos – conectadas à internet. E todas elas, com seus sensores e microcontroladores, estarão produzindo e trocando dados.

Já se disse que os dados são o novo petróleo. E é por meio desses dados que conseguimos, por exemplo, analisar em profundidade as ações da concorrência e conhecer bem o perfil dos consumidores – duas das principais estratégias do processo de Inteligência de Mercado. Interpretar corretamente esse grande conjunto de dados (o famoso Big Data) é condição essencial para o sucesso das empresas: o conhecimento e os insights oriundos dessas análise são cruciais para a organização conseguir tomadas de decisão mais ágeis e acertadas.

Assim, a IoT vem somar-se ao conjunto das várias ferramentas que já são utilizadas para gerar benefícios tanto para os negócios como para o consumidor. Uma pesquisa recente da Inmarsat aponta que 70% das grandes empresas globais de mineração de dados afirmam que a IoT lhes confere vantagens competitivas significativas. Para 44% delas, a tecnologia permite identificar oportunidades para reduzir custos e aumentar a eficiência, e 41% citou o uso da IoT para ampliar a automação dos processos de negócios.

E se a Inteligência de Mercado funciona como suporte para que as iniciativas das empresas alcancem os objetivos e provoquem os efeitos que elas desejam, também vai contemplar as informações geradas pelos mais variados dispositivos integrantes da IoT e utilizá-las para sustentar as ações de desenvolvimento da companhia.

 

IoT aperfeiçoa o trabalho com dados

A coleta e a análise correta dos dados ajudam a definir os aspectos em que uma marca pode se tornar melhor, assim como a elaborar iniciativas para conquistar novos públicos ou tornar fiéis aquelas pessoas que já são clientes, entre outras decisões. Afinal, poder oferecer soluções que atendam plenamente as demandas do consumidor, com foco nas suas necessidades e desejos, é objetivo de qualquer organização. Ou seja: poder contar com os dados que interessam e ter inteligência aplicada sobre eles ajuda a marca a alcançar o sucesso. A IoT traz ainda mais valor a essa cadeia ampliando consideravelmente as fontes de informações e auxiliando na identificação daqueles dados que são realmente relevantes. Tecnologias de gerenciamento de dados IoT garantem a coleta das informações certas na hora certa, contando com sistemas in-memory para o processamento de grandes volumes de dados gerados por milhões de devices.

Portanto, as marcas devem acompanhar o que ocorre no mercado e estar atentas às informações, para que suas análises sejam realmente eficientes e elas consigam chegar aos seus objetivos ou detectar necessidade de mudanças para isso. Mas tudo isso deve ser feito com base nos dados trazidos e analisados, isto é, sem contar apenas com a velha “intuição” – é melhor apostar no apoio das análises IoT.

 

Plataformas IoT tendem a crescer

Diretor de pesquisas em IoT da 451 Research,  Christian Renaud afirma que a maioria das organizações guarda só metade dos dados captados e analisa em torno de metade do que está armazenado. Falando sobre tendências da tecnologia para este ano, prevê que as companhias começarão a tornar mais sofisticado o uso de Analytics sobre as estruturas de IoT, para o que vai colaborar também a diminuição do custo de sensores e microcontroladores, tornando mais baratas a criação e a implantação de plataformas de IoT, que tendem a crescer.

Muitas iniciativas vêm se desenvolvendo pelo mundo no varejo, indústrias variadas, saúde e outros segmentos. Os mais diversos setores estão procurando as vantagens prometidas pela IoT, e grandes companhias globais mantêm estreita observação sobre o processo de levar a conexão à internet para os mais variados objetos e dispositivos e o que resulta disso.

A exploração da IoT tem permitido a criação de produtos e serviços como o monitoramento inteligente em uma plantação: a Iagro, uma startup brasileira, utiliza IA e visão computacional, permitindo assim que o trabalho de vistoriar a lavoura em busca de pragas seja realizado sem que equipes humanas tenham que percorrer o campo diariamente. Outra startup nacional, a Vixsystem, criou o cão-robô Lysa, destinado a guiar pessoas com deficiência visual: seus sensores alertam o usuário para obstáculos no chão, como buracos ou canteiros, e aéreos.

No varejo e nas indústrias, a manutenção preditiva de equipamentos é outra funcionalidade IoT que permite gerenciar melhor o uso de energia, bem como antecipar falhas nos equipamentos. Pense, também, na possibilidade de oferecer a um cliente uma promoção quando ele passa por aquela seção da sua loja (física ou virtual) que – os sensores espalhados no ambiente mostram esse dado – é aquela que ele mais visita?  É a IoT oferecendo oportunidades de venda em tempo real. Ao monitorar sua loja, você descobre também o local menos visitado, podendo assim pensar em como torná-lo mais atrativo. Da captura e integração dos dados até a análise e implantação, as inúmeras possibilidades trazidas pela IoT estão só começando a ser exploradas.

Mas assim como apontam a importância crescente da tecnologia, especialistas também destacam o seu gargalo, que é a segurança. Afinal, qualquer dispositivo conectado à internet está sujeito a invasões. Portanto, estabelecer critérios para manter sistemas e dispositivos seguros e garantir a privacidade dos usuários – cabe lembrar que a maioria dos dispositivos de IoT pede dados pessoais – deve ser uma prioridade para qualquer empresa que pretenda trabalhar com a Internet das Coisas e oferecer os melhores e mais seguros produtos e serviços para seus clientes.

Esperamos que você tenha gostado do nosso artigo e tenha agora uma ideia mais bem definida sobre a IoT e, quem sabe, como ela pode ser útil para você. Continue acompanhando nosso blog para ficar a par do que estamos pensando e produzindo. Alguma dúvida? Entre em contato, e aproveite para conhecer tudo o mais que a inteligência da Plugar pode fazer pelo seu negócio.

 

PLG - Banner - Fale Conosco

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Plugar nas redes sociais