IC como oportunidade para empresas em épocas de crise

0Em épocas de crise e de incertezas econômicas, agir por instinto pode ser fatal para uma empresa. Neste momento, não importa o porte ou o segmento de mercado, quando o cenário não é favorável ou se enfrenta uma profunda recessão, é preciso buscar alternativas para tentar, de alguma forma, reverter o quadro ruim, e não apenas procurar solucionar o problema tardiamente ou cm soluções paliativas. Uma das melhores formas é usar a Inteligência Competitiva (IC) a seu favor.

Mas, como fazer isso? Veja, a seguir.

 

A Inteligência Competitiva a favor do seu negócio

Independente da época, a Inteligência Competitiva será sua aliada. E em tempos de crise, é possível que o seu impacto seja especialmente relevante. “Não existe um momento mais propício para as organizações do que uma crise para fazer o bom uso das capacidades de IC.

Ela ajuda a reduzir e otimizar custos, identificar caminhos únicos de valor, e a inovar”, comenta Alexandre Del Rey, sócio-proprietário da Engrama, especialista em Estratégia, Inovação, Inteligência e Tecnologia, no Report Plugar: a Inteligência Competitiva em 2018.
Se o principal objetivo da IC é reunir dados e fomentar o conhecimento de informações, em um momento de retrações, seu uso pode ser sinônimo de oportunidade. Ao levantar informações relevantes sobre o mercado utilizando técnicas de análise crítica, por exemplo, é possível antever mudanças de cenários e possíveis problemas para a organização.

E isso só ocorre porque a IC permite que informações se tornem alertas – o que é totalmente indicado para um momento como esse.
Nesse cenário, o objetivo é ajudar na escolha de caminhos que sejam viáveis rumo à recuperação e ao desenvolvimento dos negócios, nascendo para os gestores a possibilidade de antecipação aos acontecimentos.

Frente a uma situação de mercado você pode prever o surgimento de uma dificuldade, seja ela estrutural, organizacional ou financeira, e, a partir disso, reagir com muito mais agilidade, tomando decisões eficientes e acertadas.

 

Vantagens de usar IC em épocas de crise

Como vimos, antecipar problemas e decisões é uma das grandes vantagens da Inteligência Competitiva, porém, não é a única. Existem outros benefícios da IC a serem destacados quando o assunto é ‘sobreviver em tempos de crise’. Conheça, a seguir, quais são eles:

Enxergar o que acontece no ambiente externo, acompanhando as movimentações dos consumidores e os concorrentes;
Identificar cenários, sejam eles promissores ou não para a empresa;
Monitorar as reações dos concorrentes para determinar ações diferenciadas;
Tornar a organização mais proativa para que nenhuma surpresa se torne negativa ao ponto de desestruturar o negócio como um todo;
Conduzir a empresa a uma análise de todo o contexto em que ela está inserida;
Desenvolver alternativas para tomadas de decisão com menores riscos para a organização;
Construir soluções rápidas e eficientes para reverter cenários desfavoráveis;
Fortalecer a atuação de qualquer empresa em um mercado que está em crise.

Entenda como a IC pode ajudar você na prática

No Brasil, a conjuntura política instável, a oscilação das moedas estrangeiras, os escândalos envolvendo grandes organizações, a inflação acima de metas previstas, entre outras questões, continuam desafiando os líderes, gestores e estrategistas empresariais, que encontram, hoje, muitas dificuldades para estabilizar a situação financeira dos seus negócios.

Mesmo com a economia internacional se restabelecendo após vários anos de instabilidade e baixo crescimento – e isso refletindo de certa maneira no desenvolvimento do País – acompanhamos as corporações ainda muito imaturas no sentido de prevenção.
Para encarar uma crise internacional como a de 2008 ou um período intenso de quedas dos indicadores econômicos como ocorre no Brasil atualmente, é preciso estar preparado. Como?

 

Adotando uma postura baseada no monitoramento e na interpretação de sinais observados no ambiente externo, em que os próprios líderes passam a atuar apoiados em funções de minimização de riscos e de contribuição para o melhor direcionamento das empresas.

 

“Apesar de toda crise trazer consigo uma carga negativa, ela traz junto um desafio, uma promessa de mudança. Mas a mudança precisa ser desejada, pensada, plantada e gerenciada”, explica Raquel Janissek-Muniz, doutora em Inteligência Antecipativa Estratégica e Coletiva pela Université Pierre Mendès France, também em depoimento para o Report da Plugar.

Ou seja, é necessário estar pronto para monitorar ambientes relevantes, detectar ameaças ou oportunidades, usando a Inteligência Competitiva como um apoio para enfrentar qualquer momento de crise.
Um estudo publicado recentemente pela Experian com profissionais do Brasil, Estados Unidos, Inglaterra e Austrália mostra que 91% das empresas brasileiras consideram dados na definição da estratégia de negócios, índice superior aos 86% registrados no ano passado – e isso é muito importante quando se está em um cenário de retração.

Entretanto, não é somente esse fator que pode ajudar os brasileiros a ultrapassar os obstáculos de uma crise. Além de observar e reunir dados, é necessário saber como usá-los de forma estratégica e antecipar-se frente a situações que podem impactar ou influenciar negativamente a sua empresa.

Conheça mais sobre IC e saiba como fazer isso com excelência. Contate a Plugar e continue lendo o blog!

PLG - BannerNews - Processo de IC

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Plugar nas redes sociais