Big Data pode contribuir para as pequenas empresas

O Big Data é uma realidade cada vez mais presente nas empresas do mundo todo, ajudando a trazer resultados positivos para as companhias. Isso é o que aponta a pesquisa Big Data Insights and Opportunities, realizada pela CompTIA, que mostra que iniciativas na área estão entregando os primeiros bons resultados para as marcas que lançaram projetos usando a tecnologia.

O estudo online foi baseado nas respostas de cerca de 400 profissionais das áreas de TI e de negócios. De acordo com os resultados, dentre as companhias que investiram em Big Data, 72% conquistaram resultados acima das suas expectativas.

Mas se você está pensando que o Big Data é uma realidade que só se encaixa às grandes empresas, está enganado. É preciso estar atento às mudanças que a evolução tecnológica proporciona de forma a utilizar essas novas facilidade para gerar valor à marca. Isso significa que é preciso lançar mão de algumas estratégias de negócio para que o Big Data passe a fazer parte do planejamento da pequena empresa sem causar prejuízos, mas pelo contrário, contribuindo para o sucesso da marca.

Veja como é possível tornar essa uma realidade:

 

Conhecer os clientes

A internet disponibiliza um montante enorme de dados diariamente. “Rastros” deixados pelos  usuários que acessam o seu e-mail, as mídias sociais ou fazem uma busca por um produto ou serviço de seu interesse, permitem que empresas tenham à sua disposição um rico ecossistema de possibilidades. Por meio de ferramentas capazes de captar e analisar esses dados é possível conhecer melhor o perfil dos clientes e, assim, melhorar a experiência de compras dos consumidores.

Por exemplo: imagine que você trabalha como um site voltado para o setor de saúde e bem-estar. Com a ajuda do Big Data, você pode cruzar dados como idade, altura, peso, gênero e localização dos usuários que acessaram a sua página, entre outros. A partir daí, você pode oferecer serviços e produtos específicos para cada perfil de consumidor de forma a contribuir para melhorar a saúde e a qualidade de vida desses indivíduos de acordo com as suas necessidades pontuais.

Enfim, independentemente do seu setor de atuação, o fato é que quem consegue monitorar com frequência os desejos, as necessidade, o perfil e as reações do seu público – e, com isso, trabalhar para otimizar os seus produtos, serviços ou ações de marketing –, certamente tem em mãos um grande diferencial competitivo diante do mercado.

 

Manter e encantar clientes

Outro grande uso do Big Data é a busca pela satisfação e retenção de clientes. Ao conhecer o perfil e as vontades dos consumidores é possível traçar estratégias para dar a eles o que precisam ou mesmo para que entendam até onde seus produtos e serviços podem ir.

Vamos ver exemplos de pequenas empresas do Brasil, duas ganhadoras nacionais do Prêmio PME Brasil 2016, nas categorias Agronegócio e Comércio. A primeira é a Fazenda Padre Cícero, em Cacimbinhas (AL), dedicada à criação de gado leiteiro desde 1990, e que melhorou suas práticas de gestão para ter evolução nos resultados e melhor atender ao mercado consumidor.  Com apenas dois funcionários, deu início um processo para ter mais controle sobre os dados econômicos e zootécnicos gerados na empresa. Os principais processos foram mapeados (como entrega e qualidade do leite, a ordenha, controle sanitário) e registrados no manual de gestão da fazenda. De acordo com reportagem na revista Exame, as técnicas sanitárias e de ordenha também foram otimizadas, a fazenda conseguiu ampliar a produção e hoje é ponto de referência na região.

A outra pequena empresa, vencedora na categoria Comércio, é a Brasil Cowboy. Trata-se de um e-commerce de roupas, botas e acessórios no estilo sertanejo que existe desde 2009 em Campo Grande (MS). A Brasil Cowboy vem registrando crescimento médio de 30% ao ano, segundo a Exame, graças a uma administração organizada e moderna, que faz uso de recursos como ferramentas de apoio ao marketing e à gestão, com acompanhamento dos indicadores de desempenho da loja em tempo real.

São pequenas marcas que também lançam mão dos recursos e da tecnologia para o melhor aproveitamento possível, com o objetivo de prosperar. E o Big Data reúne um conjunto de técnicas exatamente para isso: conhecer melhor, planejar, prosperar e evoluir o seu negócio.

 

Analisar a concorrência

Outra possibilidade que o Big Data oferece é conhecer melhor a concorrência. Os dados disponíveis permitem que se saiba, por exemplo, onde os estabelecimentos concorrentes estão atuando, se essa atuação ocorre online ou fisicamente, quem são os principais clientes desses estabelecimentos e até mesmo quais são as ações de marketing dos concorrentes.

Com a utilização de ferramentas de coleta e análise de dados é possível avaliar esses dados e gerar inferências que levem ao descobrimento de nichos não explorados, pontos fracos da concorrência, entre outras informações estratégicas.

 

Administrar o estoque e a logística

Outra aplicação do Big Data diz respeito à previsão de algumas tendências ou acontecimentos. Nesse sentido, na hora de planejar as compras futuras e administrar o estoque da empresa, essa tecnologia se mostra bastante útil. Isso porque, especialmente para os pequenos negócios, ficar com produtos em estoque não é sinônimo de resultados positivos.

Então, além de poder contar com o Big Data para calcular a quantidade certa de produtos a ser adquiridos, esse sistema ainda pode ajuda na análise do histórico de vendas para que se saiba quando e qual é o tipo de produto mais vendido. Assim, além de ter resultados quantitativos, também será possível analisar as compras qualitativamente.

A logística de entrega também pode ser um problema para as pequenas empresas, caso essa tarefa se mostre mais complexa e cara do que o esperado. Por isso, é indicado que se invista no Big Data para montar rotas de entrega mais simples e econômicas, diminuindo os riscos de dano ou deterioração dos produtos, de custos com combustível e de manutenção da frota. Além disso, os dados de localizadores são capazes de mostrar onde o veículo está e o tráfego em tempo real para trazer mais segurança e a chance de trocar de rota, quando necessário, a partir de decisões mais assertivas.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

1 pensamento em “Big Data pode contribuir para as pequenas empresas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Plugar nas redes sociais